Recentemente estive em um evento local para parceiros de uma grande empresa de tecnologia, cujo nome não será mencionado para proteger os inocentes.  Basta dizer que é uma das grandes.  Nesse evento, entre outros recados paroquiais, o "Technology Advisor" da empresa apresentou a estratégia deles para cloud computing, e a linha de produtos que essa empresa disponibiliza nessa área.  Essa empresa entrou atrasada na briga da cloud computing, e portanto precisa alcançar os concorrentes e tentar recuperar o tempo perdido.  &lt;!--more-->Pois bem.  Quando estava apresentando o conceito de "Platform as a Service", o Advisor menciona que existe uma oferta semelhanta da Google (o Google App Engine) e pergunta para o seu colega que está na platéia acompanhando a aprensentação, "Ainda existe esse produto da Google?  Ele é tão ruinzinho, acho que foi descontinuado".  Hmmm.  Isso tudo enquanto o mercado especula sobre o quanto o recente lançamento do Google Apps Marketplace <a href="http://www.thestreet.com/story/10751563/1/google-business-apps-sting-apple-microsoft.html?cm_ven=GOOGLEN">vai atingir Microsoft e Apple</a>, a Google anuncia a <a href="http://www.pcworld.com/businesscenter/article/196676/googles_app_engine_now_in_business_version.html">versão Enterprise da App Engine</a>, e surgem boatos de que a <a href="http://www.infoworld.com/t/software-service/will-google-buy-salesforce-next-827">Google pode comprar a Salesforce</a> para esquentar a briga no mercado corporativo.  Acho que o cargo de “Advisor” no cartão do indivíduo está meio errado, poderia ser “Misadvisor”...

Porém, não é isso que quero discutir aqui, e sim como esse tipo de mensagem especifica muito claramente para quem essa empresa está falando.  Nesse caso, fica claro que o objetivo é deixar os diretores e donos de empresas confortáveis com a solução que estão apresentando, mesmo que isso custe a simpatia de alguns indivíduos mais bem informados sobre tecnologia.  Acontece que ninguém gosta de se sentir enganado, e isso acaba criando sentimentos negativos muito fortes nessas pessoas.  É mais ou menos assim: “não me preocupo se você ficar bravo comigo, você já me odeia mesmo, desde que consiga convencer esse camarada aqui com o cheque gordo de que sou a oitava maravilha do mundo da cloud computing”.  Depois tem que ficar pulando no palco gritando “developers, developers, developers”